IMPORTANTE! Não Leia!

Ok, dizer para não ler é a forma mais eficaz que consegui para obrigar as pessoas a ler esta introdução. Gostaria que dedicasse um pouco de tempo a ela, pois é dedicada para o se e meu melhor proveito do Blog.

Este é um blog sobre Artes Marciais, como aprender a lutar e sobreviver. Toda a informação que disponibilizamos aqui é fruto de nossas pesquisas e de elementos que usamos nos nossos treinos. E já que tudo tem que ter um nome, chamamos de Ansatsu-jutsu. O estilo foi baseado em técnicas do Jiu-jitsu, Ninjutsu, Krav Maga, Kombato, Silat, Sambo, Judo, Aikido,  Kapap, Muay Thai, Sistema Haganah, Soko, Scar, Pakour, Ninjutsu, Karate, Kenpo, Tae Kwon Do, em resumo, de todas as artes marciais que encontramos pelo caminho.

Também agrupamos aqui informações sobre nutrição, condicionamento físico, sobrevivência e outras dicas que podem achar úteis ou simplesmente interessantes.

As técnicas ensinadas aqui são potencialmente letais, esteja ciente de que se resolver pratica-las, está por sua conta e risco, não tenho qualquer responsabilidade sobre qualquer dano físico ou psicológico que você possa inflingir ou sofrer.

Acreditamos que é possível aprender uma arte marcial sem mestre. Na verdade, grande parte dos estilos foram inventados sem qualquer mestre e muitos grandes artistas marciais do passado atingiram grande nível de habilidade sem mestres. Mas para isso, a prática é essencial e ter pelo menos um parceiro de treino, quantos mais melhor.

O sistema é livre. Qualquer um pode usa-lo, mas ninguém pode considerar-se mestre nele, pois nem nós o somos. Nos consideramos eternos praticantes e este deve ser o espírito sempre! Trocar informações e ajudar-se mutuamente para atingir um nível acima.

Agora, se você achar que as informações aqui contidas lhe são úteis e quiser nos ajudar a manter o blog. Dê-nos uma pequena contribuição, ela irá nos ajudar a comprar materiais para as nossas pesquisas.

https://www.paypal.com/cgi-bin/webscr?cmd=_s-xclick&hosted_button_id=5621002

Obrigado e bom treino!


Publicado em Uncategorized | 6 Comentários

Jab

Jab é o nome dado ao golpe direto dado com o braço fraco a partir da postura de combate. No boxe o jab é utilizado para manter a distância, distrair o adversário e preparar para um golpe mais pesado. Em outras artes marciais o jab geralmente é mais forte pois o corpo não está de lado em relação ao oponente como no boxe, podendo assim ser usado para nocautear o adversário.

Classicamente a forma correta de atingir com um jab é usando a mão em punho, batendo com os nós do dedo indicador e médio. É importante saber como fechar o punho, pois é a forma de fecha-lo e alinha-lo com o ante-braço que permite desferir golpes fortes sem quebrar os dedos  ou os ossos da mão. Mesmo lutadores experientes em usar o Jab como Mike Tyson quebram a mão quando desferem socos na vida real (no boxe eles não se machucam pois a mão está enfaixada).

A forma correta de fechar a mão em punho é primeiro dobrando os dedos o máximo que puder até que as pontas toquem a base dos dedos. Então dobra-se os nós das mãos e fecha-se o polegar por cima das segundas falanges dos dedos indicador, médio e anular. Os nós dos dedos indicador e médio devem estar alinhado com os ossos do antebraço formando uma linha reta. Esta é a única forma de não machucar a mão dando um soco e requer fortalecimento do pulso. Um exercício recomendado é fazer flexões de braço com o punho cerrado.

O Jab pode ser desferido com ou sem peso. O Jab com peso é chamado de “Jab forte” e ou sem peso de “Jab rápido”. Mas lembre-se, todo o jab é dado com o braço fraco.

Jab Forte

Na postura de combate, fecha-se o punho do braço fraco. Avança-se com a perna fraca ao mesmo tempo que soca o adversário estendendo o braço e girando o tronco para dentro. O cotovelo permanece o tempo inteiro apontado para baixo e o polegar na parte de cima da mão. O ombro se eleva e os músculos da asa e do peito se contraem para dar boa sustentação ao braço.

A mão forte fica aberta com a palma voltada para a frente na frente do queixo para bloquear contra-ataques. Pode ir para  o lado fraco da face ou para o lado forte dependendo do contra-ataque que se espera. Respectivamente um jab ou gancho ascendente, um cruzado ou um gancho.

No momento do impacto o pé de trás tem que estar em contato com o chão e o soco permanece na máxima extensão por aproximadamente meio segundo para transferir toda a força do golpe para o alvo.

Finaliza-se o movimento deslisando o pé forte para frente ou deslisando o pé fraco para trás. Reassumindo a postura inicial.

Jab Rápido

É exatamente como o anterior. Contudo o ombro não se eleva e não se encaixa e não se aguarda meio segundo para transferir a força do golpe.

Existem outros tipos de jabs com finalidades distintas que não são desferidos com a mão em punho.

Jab nos olhos

Este jab é dado com a mão em espada (dedos esticados e juntos) ou em garra nos olhos. O movimento da mão não é de dar um golpe sólido, mas sim um movimento circular para fazer com que a ponta dos dedos chicoteiem os olhos do adversário. A idéia é causar uma distração para desorientar temporariamente o adversário e assim aplicar um golpe mais pesado, uma chave, um estrangulamento ou uma derrubada.

Jab na garganta

Neste Jab a mão está em forma de “Y” ou seja, todos os dedos juntos, só o polegar afastado e atinge-se o alvo com a parte entre o polegar e o indicador. Este golpe é dado de baixo para cima na garganta na base da “pomo de adão”. Pode-se simplesmente dar o golpe ou pode-se segurar a traquéia com os dedos e esmaga-la ao mesmo tempo que se restinge o fluxo da carótida.

Como usar o Jab

Jab é um soco rápido e deve ser usado para controlar o oponente. O mais importante ao usar o Jab é variar a sua velocidade, frequência e ritmo! Quanto mais variado for o seu jab mais complicado será para o seu adversário se defender dele ou mesmo se preparar para um contra-ataque. O Jab tem a incrível capacidade de por pressão num adversário e é uma excelente ferramente para preparar o adversário para uma Palmada Forte.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Treino com o Saco de Areia

Você já aprendeu alguns golpes e já treinou a forma de como executa-los. Provavelmente já é capaz de executar alguns combos no ar, mas agora você precisa introduzir resistência ao seus golpes para treinar sua força de impacto.

Para isso utilizamos o saco de areia ou BOB (Body Opponent Bag) que é um modelo em borracha do corpo humano. Mas honestamente sugiro que utilize o saco.

O saco de areia é considerado um dos melhores métodos de treinamento disponível hoje em dia. Ele desenvolve resistência física, força, potência dos golpes, além de permitir correção das técnicas e emocionalmente funcionar como um alvo para descontar as frustrações (o que é muito útil naqueles dias que dá vontade de quebrar tudo).

Antes, você deve saber que treinar com o saco de areia não é simplesmente dar murros a esmo. Existem questões de segurança a serem consideradas, método de treino e mesmo o tamanho do saco afeta no desenvolvimento de sua técnica.

Segurança

Você certamente já ouviu falar da palma de ferro e de mestres que conseguem quebrar tijolos com as mãos. Verdade que é possível condicionar as mãos para suportarem grande intensidade de stress físico e falaremos sobre esse condicionamento quando falarmos sobre makiwara, mas o saco de areia é diferente.

A diferença começa que o saco não é uma estrutura regular e estática. Seus movimentos e irregularidades causam distorções na zona de impacto que podem causar torções do punho e até deslocamento dos metacarpos. Outra diferença é que no treino de palma de ferro você treina aplicando força gradativamente, no saco de areia você procura golpear com força, mesmo com a mão ainda não condicionada.

Por estas razões, é importante proteger os ossos das mãos (para quem não sabe a mão é composta por inúmeros ossos que são razoavelmente fágeis) com bandagens. Este é um processo utilizado por lutadores profissionais em todas as civilizações desde que o mundo é mundo.

A bandagem pode ser feita com gases e esparadrapo ou fita elástica reutilizavel especialmente desenvolvida para esta função. Veja os vídeos abaixo sobre como fazer a bandagem.

Se você comprar uma fita elástica (o que especialmente recomendo para treinar) use este tutorial:

É recomendável também que utilize luvas específicas para atingir o saco. Elas irão proteger suas mãos permitindo que você use ainda mais força nos golpes, aumentar a durabilidade do saco e adicionam peso, o que é especialmente útil para desenvolver sua competência cardio-vascular.

O alongamento e aquecimento é mandatório. Treinar com o saco sem o devido preparo é o mesmo que procurar lesionar o corpo e arruinar o treino.

Escolhendo o saco

Os sacos de areia não são todos iguais. Para falar a verdade, atualmente muitos deles sequer areia possuem. Eles podem conter areia, espuma, borracha, gel e até água. Sua cobertura pode ser em couro, vinil, tecido ou nylon. Para além do material, sua forma e tamanho podem variar. Há o saco cilíndrico tradicional, o “body bag” que serve para treinar acertar lugares específicos, o “upper-cut” bag que ajuda a treinar Ganchos ascendentes e até o Saco de Boxe Tailandês que é um saco especialmente longo que permite treinar chutes na altura do joelho.

Escolher o equipamento ideal depende de muitos fatores e um deles certamente é o dinheiro. O ideal é que compre um saco apropriado à suas necessidades e progressivamente mude para sacos maiores e mais pesados conforme for progredindo no treino.

Se seu objetivo é apenas manter a forma. Recomendo utilizar sacos leves e mais moles. Lembre-se que peso é uma questão relativa! Leve ou pesado deve ser sempre em comparação ao seu próprio peso.

Se tiver com dinheiro disponível, sugiro o “Water Filled bag” ou “Water Core”. Esses sacos possuem água em seu centro e dão a mesma sensação de atingir um corpo humano.

Se você não tem muito espaço em casa ou é principiante, um saco muito bom é o “free standing bag” ou “joão bobo”. Estes não são sustentandos por cordas mas sim se equilibram sobre um lastro pesado no chão. São especialmente bons para quem tem pouco espaço em casa ou quem não quer ter preocupação com instalações complexas. São móveis o que permite que sejam fáceis de guardar. Infelizmente são muito leves o que os torna inadequados para praticantes mais experientes, mas são ideais para principiantes ou crianças. Como podem ficar em pé em qualquer lugar, são ótimos para treinar movimentação.

Caso não disponha de dinheiro, compre um saco que irá usar para todo o treino. O saco de boxe thailandês lhe dá maior variedade de possibilidades de golpes. Mas tenha cuidado! É um saco extremamente pesado e isso certamente vai afetar seu treino.

Aspectos importantes no treino

Quando se treina diante do saco de areia, deve-se levar em consideração a postura, a distância, velocidade e a sincronia de movimento com a força do golpe.

Deve-se mentalizar o saco como um oponente de verdade. Não se pode estar diante dele com a guarda baixa ou próximo ao ponto de poder ser atingido. Todo o exercício começa sempre em posturas de luta e sempre a uma distância segura.

Ao desferir o golpe o praticante deve movimentar-se como faria para aproximar de um oponente real, desferir o golpe e recuar para uma distância segura, sempre recompondo sua postura de modo a poder se proteger.

Lembre-se que todo o golpe deve ser um só com a movimentação. Quando os movimentos estão sincronizados o peso é deslocado como uma só massa e se concentra no ponto de impacto, aumentando a força do golpe. Portanto sincronia de movimento é um ponto crucial. Preste especial atenção no trabalho de pés, postura e respiração, todos devem agir como uma unidade.

Velocidade é sempre o último aspecto a ser treinado e normalmente é desenvolvido através de combos.

É recomendável treinar com auxílio de um pareceiro que pode olhar para seus movimentos e dizer se foi bom. Pode inclusive segurar o lado oposto do saco para sentir a força do impacto e se o golpe for especialmente forte, lhe informar. Uma boa dica para treino de parceiros é usar como comunicação apenas as palavras “bom” para boa sincronia e “forte” para golpes muito fortes, e ignorar o resto. Isto aumenta a motivação e confiança. Pode-se informar o que o praticante precisa melhorar, sempre em termos de dicas do que pode melhorar, lembrando sempre de valorizar aquilo que ele faz de certo.

Como atingir o saco de pancada

Muita gente treina com o saco sem saber a forma correta de atingi-lo. Quando se golpeia algo ou alguém, sempre deve-se visar atingir um alvo mais profundo que a superfície. Lembre-se que a área de força máxima de um golpe é aproximadamente a quarta parte final de seu movimento, antes disso o golpe é fraco e depois disso o golpe é fraquíssimo.

Por esta razão, sempre que for golpear o saco (ou um oponente) dê o golpe como se quisesse atingir um ponto que está a aproximadamente 1 punho a dentro da superfície para golpes diretos e 2 punhos para golpes circulares ou laterais.

Ao atingir o saco, este deve-se mover apenas no eixo do golpe. Se o saco girar significa que você está atingindo numa distância ou com profundidade inadequada. Se o saco mover-se lateralmente ao eixo do golpe, significa que sua mão não está atingindo o alvo diretamente.

Onde atingir no saco de pancada

Atinja o saco na altura em que estariam as partes do corpo de seu oponente. Resista à tentação de atingir diretamente o saco, pois isso cria um mal hábito. Por esta razão é importante instalar o saco numa altura adequada.

As áreas visadas são os pontos vitais básicos. Pra quem não lembra, eis uma breve revisão.

Os golpes rápidos devem visar cegar o oponente ou causar danos morais que o façam distrair-se de defender golpes mais duros. Por isso, a região dos olhos, nariz e sobrancelhas são as mais visadas para os jabs.

Os golpes mais pesados devem visar as têmporas, o maxilar e as costelas flutuantes. Golpes como “martelo” visão principalmente ossos expostos como as clavículas.

Você pode comprar o “BOB” para treinar posicionamento ou pode marcar na superfície do saco os pontos vitais. Algo que pode ser interessante é dar números ou letras para cada ponto vital e pedir para alguém ditar quais você deve acertar. Você pode fazê-lo sem ajuda, gravando sua voz.

Caso tenha um saco de boxe tailandês, as áreas vitais da perna são na altura da bacia, do meio da coxa, joelhos e atrás da canela nos músculos da panturrilha.

Tipos de treino

Existem muitos tipos de treinos que podem ser feitos com o saco de pancada. Universalmente são todos feitos em rounds de 2, 3, 4 e 5 minutos com intervalos de 1 minuto entre cada round. Uma sessão de treino pode ter de 1 a 9 rounds dependendo do nível do praticante. Eis os tipos de treino que são importantes para nós:

Técnica específica: o objetivo deste treino é corrigir a forma da técnica com aplicação de força total. Em cada round apenas uma técnica é praticada repetidas vezes com intervalo de 1 ou 2 segundos entre cada repetição.

Combo específico: como o anterior, apenas um combo é treinado por round, com intervalos de 1 ou 2 segundos entre cada combo. Serve para desenvolver fluidez e velocidade.

Misto: neste alguém ou sua voz gravada, ditará que técnicas você irá aplicar no saco. Não existe tempo de intervalo fixo, o tempo é apenas o bastante para aplicar a técnica ou combo e voltar a postura. Todas as técnicas isoladas devem ser praticadas e até 6 combos por round. Este treino é importante para desenvolver fluidez, velocidade e rapidez de reação.

Burn-out: O praticante desfere golpes continuamente, sem intervalos e de forma livre durante todo o tempo do round. Não precisa se importar com técnica, o mais importante é força e velocidade. O objetivo do treino é desenvolver resistência física.

Estes treinos podem ser estáticos ou dinâmicos. Nos estáticos o praticante permanece sempre numa mesma posição diante do saco. No dinâmico o praticante se move ao redor do saco como faria com um oponente real para buscar pontos vulneráveis.

Quanto a movimentação, você pode aumentar o grau de dificuldade dos treinos mistos e de burn-out colocando como som de fundo um tom grave ou um tom agudo. Se o tom for agudo significa que você deve dar golpes enquanto circunda o saco pela esquerda, se for grave, pela direita. Com isso você realmente está treinando não só seu físico, como a sua mente a interpretar sinais complexos do ambiente e treinar de acordo.

Sobre postura durante o treino

Mantenha sempre os músculos relaxados e mãos em punho mas não tensionadas. Ao fazê-lo você libera a circulação do sangue e previne a fadiga muscular. A tensão só deve ser aplicada no momento exato do golpe.

Uma dica final é que se o seu saco ficar muito leve, você pode pedir para um colega de treino segura-lo firme na posição, aumentando assim o peso relativo do saco.

Publicado em Uncategorized | 5 Comentários

Chute frontal

Chute frontal é sua arma de mais longo alcance.  Ele é um chute muito versátil e pode ser usado para atingir diferentes alvos em diferentes alturas do corpo.

Geralmente ele pode ser usado de duas formas: Se for para atingir por baixo, como é o caso dos genitais e do queixo, o golpe é dado com o peito do pé. Se for para atingir pela frente como é o caso da bexiga, plexo solar e joelho, o golpe é dado com a bola ou ponta do pé.

Contudo, os ossos do pé são muito fracos em relação à força do golpe. Diferente do pisão, que atinge com um osso sólido como o calcanhar, o chute frontal depende do perfeito alinhamento do pé para não sofrer danos. Por esta razão, é sempre importante praticar com o pé enfaixado isso impede que o pé quebre. E quando for usar na vida real, lembre-se de que o chute frontal é mais eficaz quando você está calçado, especialmente com botas de ponta de ferro.

Outra dica importante é evitar a todo o custo dar chutes acima da linha da cintura. Chutes altos são golpes muito fáceis de serem defendidos e só atingem o adversário se este estiver desorientado por golpes anteriores ou por uma finta. Seu equilíbrio depende da sua velocidade em reassumir a postura de guarda, portanto, só dê chutes altos se o seu oponente estiver desorientado.

Seja como for, lembre-se de que no chute frontal os quadrís sempre ficam de frente para o oponente. Isto torna o chute mais rápido e melhora o seu equilíbrio, e a razão é símples, quando vôcê está executando o chute frontal você joga a cintura para trás enquanto o pé faz um movimento circular em direção ao alvo. A cintura é o Pivot destes dois movimentos e se forem executados juntos na mesma velocidade ambos os movimentos se compensam produzindo um efeito de giroscópio, mantendo seus quadrís na posição a pesar da falta de apoio e do movimento brusco.

Como aplicar o chute frontal fraco parado

A partir da postura de combate, recua-se o corpo jogando o peso do corpo para a perna forte e virando o pé para fora cerca de 45º. Ergue-se o joelho da perna fraca flexionando-o em 90º. O movimento do joelho é o movimento mais importante do chute! Ele determina altura, direção e força do golpe. Nesta postura, projeta-se o quadril para a frente ao mesmo tempo que estica a perna. A perna do chute deve descrever um movimento semelhante ao de um chicote. Recua a perna de volta para a posição de 90º e reassume-se a postura de guarda colocando-se a perna fraca a frente.

Como aplicar o chute frontal fraco avançando

A partir da postura de combate, avança-se a perna forte para junto do calcanhar da perna fraca, apoiando-se no chão num ângulo de 45º em relação o oponente. Todo o resto procede-se igual, podendo finalizar o chute com um avanço, pousando a perna fraca a frente, ou retornando a perna fraca para posição inicial e recuando a perna forte para sua posição de origem.

Como aplicar o chute frontal forte

A partir da postura de combate. Mude o peso do corpo para a perna fraca ao mesmo tempo que levanta o joelho da perna forte até a altura desejada, flexionando-o até 90º. Aproveitando a velocidade do movimento gire o pé fraco em 45º para fora usando a bola do pé como pivot ao mesmo tempo que desfere o chute. Após o chute recue a perna forte para a posição de joelho elevado e então de volta para trás, reassumindo a posição de combate.

Exercícios para desenvolver um bom chute frontal

  1. Avançar, chutar um alvo e recuar. Repetindo o processo o mais rápido que puder.
  2. Parado na posição dar o maior número possível de chutes com a mesma perna em 15 segundos.
  3. Dar o maior número de chutes frontais consecutivos em 20 segundos. Alternando as pernas. Deve-se ter cuidado para manter a postura vertical.
  4. Jogando o peso na perna da frente e coma  perna de trás esticada, tente chutar com a perna da frente sem mudar o peso do corpo para trás. Isto desenvolve força de explosão na perna.
  5. Atingir um alvo tendo um outro obstáculo a baixo. Isso é importante pois precisão é fundamental num golpe.
  6. 1-2. Dar com a mesma perna um chute frontal forte baixo e outro alto sem retornar a perna ao chão.
Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

Estrangulamento de lapela por trás

Por vezes, mesmo estando às costas do oponente é difícil aplicar um estrangulamento de sangue. Se o oponente estiver usando uma roupa resistente será mais fácil finaliza-lo com esta técnica.

Passe o braço forte por cima do oponente do mesmo lado e vá segurar a lapela oposta o mais alto que conseguir. O polegar vai por dentro da lapela e os outros dedos por fora. A palma está voltada para o corpo do oponente. O braço fraco passa por cima do outro ombro do oponente e vai segurar a lapela oposta, a altura não é importante.

O braço fraco vai fazer um movimento de puxar a lapela para baixo enquanto que o braço forte vai puxar a lapela para trás e para cima em direção ao ombro forte. Isso irá encurtar a lapela ao redor do pescoço e forçar o antebraço forte contra a traquéia do oponente, causando o estrangulamento.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Estrangulamento de lapela pela frente

O estrangulamento de lapela faz uso da vestimenta do oponente e irá funcionar sempre que o adversário estiver usando uma roupa resistente como um casaco, jaqueta ou blazer. T-shirts, camizetas e outroas roupas mais leves irão rasgar com a força da técnica.

Existem duas formas de aplicar o estrangulamento de lapela pela frente. Pode ser com a palma das mãos voltadas para você ou voltadas para o oponente. O que muda em ambas as técnicas é o grupo muscular utilizado e será melhor ou pior dependendo de que grupo de músculos você exercita mais.

Esta técnica pode ser aplicada em pé ou no chão e é extremamente útil para finalizar uma luta.

Com as palmas da mão voltadas para você

Com uma das mãos, digamos a forte, você irá enfiar os dedo por dentro da lapela e o polegar irá ficar  de fora. Obviamente a mão está com a palma voltada para cima. Busque segurar o ponto mais posterior, se possível exatamente atrás da coluna e agarre a lapela aí com força. O braço fraco irá passar por debaixo do braço forte e irá fazer o mesmo com a lapela agarrando imediatamente ao lado de onde a mão forte está.

Com as mãos firmes nesta posição puxe os cotovelos para os lados e para trás, como se estivesse querendo trazer o oponente para perto e para baixo. Lembre-se de manter a cabeça junto ao corpo do oponente para evitar ser atingido.

Com as palmas da mão voltadas para o oponente

É exatamente igual á técnica anterior, a diferença está em que o polegar vai por dentro da lapela e os demais dedos por fora. E a mão fraca vai por cima da mão forte.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Estrangulamento de sangue

Eis a sua primeira técnica 100% eficaz e facilmente letal. Ela funciona interrompendo o fluxo de sangue nas artérias carótidas para o cérebro, levando à incosciência em menos de 5 segundos e à morte em menos de 30!

Antes, um pouco de anatomia. As artérias carótidas fica no pescoço ao lado e ligeiramente atrás da traquéia. Se você tocar seu pescoço suavemente nesta região encontrará em ambos os lados uma região que pulsa. Pois bem, estas são as carótidas.

Caso queira fazer um teste do poder que o estrangulamento de sangue tem, basta você mesmo usando o polegar e o indicador pressionar as carótidas interrompendo o próprio fluxo de sangue. Se o fizer, vai começar a sentir partes do seu corpo dormente e antes que possa desmaiar seu braço vai ficar sem forças liberando o fluxo de sangue novamente.

A forma correta de executar o estrangulamento de sangue é se posicionando atrás do oponente, passando o braço pela frente e ao redor do pescoço de forma justa e com o seu cotovelo alinhado com o queixo do oponente. A mão do braço que envolve o pescoço do adversário segura o bíceps do outro braço e este braço por sua vez flexiona-se por inteiro e vai agarrar a nuca do oponente empurrando-a para frente. A pressão é feita nos lados do pescoço.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Agarrão (clinch) de cintura

O clinch de cintura é o clinch ideal para preparar uma derrubada. Ele por definição é uma postura de dominância, já que o adversário está na sua frente e você de lado para o adversário.

A forma correta de fazer o clinch de cintura é dando-se um passo para fora e para a frente. Agarrando a cintura do oponente de modo a ter uma perna atrás do oponente e outra a frente, formando um “T” com os pés. Idealmente você deve estar controlando o braço do lado oposto do oponente, tendo-o preso embaixo de sua axila.

Também é importante que seu quadril esteja colado ao corpo do oponente e ligeiramente a baixo do quadril do oponente. Isso permite que você tenha um melhor equilíbrio e evita contra-ataques.

O clinche de cintura também pode ser feito às costas do oponente (abraço de urso). Permitindo dar joelhadas na parte posterior da coxa (região sensível) e progredir para o estrangulamento de sangue.

Entradas

A entrada para o clinch de cintura é normalmente feita utilizando-se algum tipo de golpe como distração. Geralmente o que se faz é dar um chute para distrair o oponente e então faz-se a triangulação para seu lado ou costa agarrando a cintura.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário